Abdias Nascimento na Avenida em São Paulo

Elisa Larkin Nascimento, viúva de Abdias Nascimento, diretora do IPEAFRO, desfila no carro “Poder ao povo da favela!”. Foto: Bruno Pompeu

Quando a Mocidade Unida cruzou a avenida, em São Paulo, na madrugada de segunda-feira, dia 24 de fevereiro de 2020, os integrantes da escola defendiam não só as cores do pavilhão, mas enalteciam a vida, a obra e o legado de Abdias Nascimento, um herói da nação brasileira, que dedicou sua vida ao ativismo em prol do povo negro. 

Com o enredo A Ópera de Abdias Nascimento 

Integrantes da escola desfilam na ala de protesto. Em destaque, a jornalista Tatiane de punho cerrado

Além da homenagem a Nascimento, o desfile mostrou-se um protesto contra as injustiças e preconceitos sofridos pelo povo negro e pelas chamadas minorias, que lutam por respeito e igualdade. 

Foram lembrados no protesto nomes como o da vereadora assassinada Marielle Franco, do músico Edvaldo Santos, que teve seu carro alvejado por 80 tiros, após ser confundido com bandidos, da pequena Ágatha Felix, de 8 anos, vítima de uma bala perdida em um comunidade carioca, dos nove jovens mortos no baile funk em Paraisópolis, em São Paulo, e por tantos outros, que na maioria das vezes são negros e negras, que tiveram suas vidas interrompidas de forma abrupta. 

 

O resultado do carnaval 2002 deu a Mocidade Unidade da Mooca um digníssimo quarto lugar entre as sete escolas do Acesso paulistano. Pelo esforço e o trabalho desenvolvido, especialmente na pessoa do carnavalesco negro André Rodrigues, o Instituto de Pesquisas e Estudos agradece a toda comunidade da MuN.

GALERIA DE FOTO COMPLETA

Ficha técnica

Fundação: 18/03/1987
Cores oficiais: vermelho e verde
Presidente: Rafael Falanga
Carnavalesco: André Rodrigues
Mestre de Bateria: Caik Mano
Primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira: Jefferson Gomes e Janny Moreno
Diretor de Carnaval: Vitor Gabriel
Diretor de Harmonia: Vanderley Silva, Neto Reis, Rodrigo Romano e Luiz Leite
Rainha da Bateria: Karoline Morais
Intérpretes: Gui Cruz e Clayton Reis
Coreógrafo da Comissão de Frente: Nildo Jaffer
Colocação em 2019: 5º lugar – Grupo de Acesso 
Ordem do desfile em 2020:
Grupo de Acesso – Domingo – 23/02
5ª escola a desfilar – 01h00
Enredo de 2020: “A Ópera Negra de Abdias do Nascimento” 


Samba-Enredo

A ÓPERA NEGRA DE ABDIAS DO NASCIMENTO

Ecoa o clamor da resistência
A negra voz que ilumina a consciência
Tingindo de preto os palcos de marfim
O sonho de Palmares renasce em mim
Ôôô… pelo povo e meus irmãos
Ôôô… minha luta não foi em vão
A luz de Aruanda na ribalta
Liberta as amarras da realidade
Arranca a mordaça e diz a verdade

Kaô Kaô… Kabecilê Xangô
Teu leão de batalha eu sou
Aos olhos do rei a justiça revela
Poder ao povo da favela 

Convoco tambores de axé
Num elo de fé, por nossa raiz…
Não deixem cair no comum,
Confundirem mais um,
Sangra nosso país!
Vem meu irmão,
À luta contra a intolerância
Estou presente em cada coração
Resistindo a ignorância
Eu sou a força de quem nunca desistiu
O “Nascimento” de um novo Brasil

Eu tenho o meu valor
Respeite a minha cor…
Só quero paz e igualdade
Sob a luz de Olorum, uma história de atitude
A Mooca é a voz da negritude

Compositores: Dom Marcos (in memoriam), Vitor Gabriel, Minuettos, Gui Cruz, Portuga, Luciano Rosa, Reinaldo, Marçal, William Tadeu, Imperial, Clayton Reis e Rafael Falanga