COLEÇÃO SANKOFA
entre os dias 16 e 19 de outubro, cada um dos volumes do Sankofa em versão eBook aparecerá com um desconto de 65% na Amazon.

AGENDA 

Próximo evento em 14 de outubro de 2020  – Coleção Sankofa v. 3 –  Guerreiras de Natureza: Mulher negra, religiosidade e ambiente 
Onde:  Canal Pensar Africanamente (YouTube e Facebook)
Link da transmissão no Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=miaW_2TFR-o
Sorteio de livros: para participar do sorteio você precisa ter uma conta no Instagram. Aí você vai fazer o seguinte:  (1) Compartilhe este evento no seu Stories e mencione @ipeafro e @pensar.africanamente; (2) envie uma mensagem pelo direct do @ipeafro com o nome do livro que será sorteado, seguido do seu nome e do seu e-mail.
Palestrantes: 
LÚCIA XAVIER é assistente social, cofundadora e coordenadora de CRIOLA, organização de mulheres negras com sede no Rio de Janeiro. Integra o Comitê Mulheres Negras Rumo a um Planeta 50-50 em 2030, implementado pela ONU Mulheres-Brasil;

GISELLE DOS ANJOS SANTOS atua no Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades (CEERT). Possui bacharelado em História (PUC-SP), mestrado em Estudos de Gênero e Teoria Feminista (UFBA) e está cursando o doutorado em História Social (USP). È autora do livro “Somos todas rainhas” (2012), sobre a história das mulheres negras no Brasil, e co-autora do livro “Mulheres afrodescendentes na América Latina e no Caribe: Dívidas de igualdade” (2018), publicado pela CEPAL no Chile e no Brasil;

MARIA DE LOURDES SIQUEIRA, nascida no Quilombo dos Matões dos Moreira, em Codó, Maranhão, é doutora em antropologia pela École des Hautes Études em Paris, França. Professora aposentada da UFBA, diretora do Ilê Aiyê, conselheira do Centro de Cultura Negra do Maranhão e integrante do Conselho Nacional da Igualdade Racial (extinto pelo atual governo);

ELISA LARKIN NASCIMENTO: diretora do IPEAFRO e organizadora do livro e da coleção Sankofa. Doutora em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano pela Universidade de São Paulo (USP);

SILVANY EUCLÊNIO: mediadora do encontro, coordenadora do Projeto Baobá – Ribeirão Preto Educando para a Igualdade Étnico-Racial (2006 a 2009) e de políticas públicas para povos e comunidades tradicionais na Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República (2011 a 2014). Integra o Conselho Editorial do Canal Pensar Africanamente.

Resumo do livro
Com apresentação de Mãe Beata de Yemonjá e da socióloga Mirian Goldenberg, o livro abre com textos de Lélia González e Gizêlda Melo Nascimento sobre a mulher negra no Brasil. Helena Theodoro, Sueli Carneiro e Cristiane Cury abordam a mulher e a tradição de matriz africana em quatro textos, seguidos de reflexões de Elisa Larkin e Aderbal Moreira que focalizam o ambientalismo nessa tradição. Hédio Silva Jr. contribui um capítulo sobre o direito e a intolerância religiosa, seguido de textos de Dandara, Nei Lopes e José Flávio Pessoa de Barros (com Maria Lina Leão Teixeira e com Clarice Novaes da Mot0), que focalizam a relação da tradição de matriz africana com a natureza em diversos aspectos, como o Sassanhe, o Jurema e a ancestralidade banta e indígena.

 

 

 

11 de novembro  – Coleção Sankofa v. 4 –  Afrocentricidade, uma Abordagem Epistemológica Inovadora
definir a definir

09 de dezembro  –  O Sortilégio da Cor. Identidade, Raça e Gênero no Brasil
escolher a definir


ENCONTROS REALIZADOS (memória)

12 de agosto  – Coleção Sankofa v. 1 –  A Matriz Africana no Mundo
Participações do filósofo prof. Dr. Renato Noguera do Departamento de Educação / UFRRJ, pesquisador do Laboratório de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas (Leafro) e coordenador do Grupo de Pesquisa Afroperspectivas, Saberes e Infâncias (Afrosin); e de  Kaká Portilho , doutoranda em Antropologia Social, fundadora e presidente do Instituto Hoju e coordenadora do Centro de Altos Estudos e Pesquisas Afro-pindoramicas. Elisa Larkin Nascimento e a mediadora Silvany Euclênio estão presentes nas cinco vidas. 
Veja aqui:  https://www.youtube.com/watch?v=O5WQpf6eHKY&t=28s

 

Resumo do livro
Elisa Larkin Nascimento apresenta uma retrospectiva da pesquisa pioneira de CheikhAnta Diop e seus seguidores, enriquecendo o texto com exemplos do protagonismo africano no mundo, da antiguidade aos tempos modernos. Em companhia de Gizêlda Melo do Nascimento, uma mesma autora apresenta uma reflexão acerca do “descobrimento” das Américas. O escritor ganense Michael Hamenoo e os angolanos Francisco Romão de Oliveira e Ismael Diogo da Silva contribuiu com análises do legado colonial e da África
contemporâneo. Elis a Larkin Nascimento apresenta uma visão geral das lutas pan-africanas na África e na diáspora, enquanto Anani Dzidzienyo aborda as relações internacionais entre África e diáspora focalizando o Brasil. Carlos Moore, por sua vez, elucida a especificidade da contribuição brasileira ao pan-africanismo.


 

09 de setembro de 2020  – Coleção Sankofa v. 2 –  Cultura em Movimento: Matrizes africanas e ativismo negro no Brasil. 

Participações de Petronilha Beatriz Gonçalvez e Silva , professora Emérita da UFSCar, professora Sênior junto ao Departamento de Teorias e Práticas Pedagógicas da UFSCar. É autora de várias publicações na área da Educação; Alessandra Pio , mestra e doutora em Educação (UFRJ), pedagoga (UFF). Participou do Programa de Desenvolvimento Acadêmico Abdias Nascimento, Universidade de Nova York, 2017/2018. Pesquisa a trajetória escolar de alunos negros, avaliação e racismo; Elisa Larkin Nascimento , diretora do IPEAFRO e organizadora do livro e da coleção Sankofa. Doutora em Psicologia Escolar e de Desenvolvimento Humano pela Universidade de São Paulo (USP); e Silvany Euclênio, mediadora do encontro, autora de um dos capítulos do livro. Historiadora, educadora, ativista do movimento negro. Coordenadora do Projeto Baobá – Ribeirão Preto Educando para a Igualdade Étnico-Racial (2006 a 2009) e de políticas públicas para os povos tradicionais na Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República (2011 a 2014). Integra o Conselho Editorial do Canal Pensar Africanamente.
Veja aqui:  https://www.youtube.com/watch?v=miaW_2TFR-o

Resumo do Livro
Com apresentação de Nei Lopes e de Carlos Moore, o livro abre com dois capítulos em que Nei Lopes aborda a cultura banta e o Islão negro no Brasil. Beatriz Nascimento terminou sobre o conceito de quilombo e a resistência afro-brasileira. Elisa Larkin apresenta um esboço sucinto sobre o movimento negro no século XX, complementado por um histórico do Memorial Zumbi: comunicado à SBPC e depoimento do historiador Joel Rufino dos Santos. Na segunda parte do livro, com enfoque sobre a atuação do movimento negro na educação, Elisa Larkin apresenta um pequeno histórico da evolução das políticas públicas conquistadas e registra iniciativas no Rio de Janeiro. Vera Regina Triunfo pega sobre ação educativa no Rio Grande do Sul; Silvany Euclênio relata o Projeto Baobá em Ribeirão Preto e Piedade Marques depõe sobre ações em Pernambuco.